terça-feira, 22 de junho de 2010

Que sonho, afinal, é você?



Sonho, afinal, quem é você?
Preciso te ser fiel
ou de outros posso me acometer?

Pra te ter nas mãos
e diante dos olhos
devo me ocupar só de você?

Gosto de muitos sonhos.
Não era intenção um único escolher,
mas pra quem tem somente uma vida
talvez seja necessário.

E se for, aviso:
eu abdico,
mudo a cabeça,
me condiciono,
abandono.
Pelo sonho sou capaz.

Quero ver o brilho no fim,
ter meu próprio nariz.
Será que preciso ter um sonho só?
São muitos desejos na prateleira
e uma só vida.
Opções podem desvirtuar.

Não quero só me aproximar.
Quero pegar no meu sonho.
Preciso decidir:
Que sonho, afinal, é você.

3 comentários:

*Mi§§ §impatia* disse...

Que gracinha esse poema, adorei. AH os sonhos, o seria de nós sem eles né? Eles nos alimentam a alma..
Beijos.

Leo disse...

Minha querida, se queres escolher os sonhos, escolhe os que tiver mais creme e açucar de confeiteiro por cima, pode parecer, mas não é dos de padaria que estou falando.

Sonhe com carinho, com calma.
assim não caimos em desvirtude
junto com eles.

Lindo poema Camila, parabéns!!!
Te beijo.

@carolecarol disse...

Também quero...

Related Posts with Thumbnails